Homens e Deuses e Youcat

Sabe aquela impressão de que a coisa não anda, que a vida não vai pra frente, que a gente não sai do lugar?

Você reza, você pede à Deus que te abra um caminho, que te mostre uma solução, e nada. Você fez (ou acha que já fez) de tudo, e as coisas não mudam, não há um fim à vista.

Quem já não passou por isso?

Esse fim de semana assisti finalmente o filme Homens e Deuses. Não vou fazer uma sinopse, nem uma crítica… tem muitas por aí, é só procurar.

Os monges viviam uma fase de dúvida, incerteza, uma decisão a tomar, Deus parece não responder.

“Eu não sei quando ou como isso tudo vai terminar. Enquanto isso, cumpro o meu dever… cuido dos pobres e doentes, esperando o dia ou a hora de fechar meus olhos. Meu querido amigo, reze por mim, que minha partida desse mundo seja feita na paz e alegria de Jesus.”  (Frei Luc)

A coisa não anda? A vida não vai pra frente? Parece que a coisa não vai ter fim?

Cumpra o seu dever.

Você tem um emprego? Trabalhe. Você é estudante? Estude. Você tem filhos? Eduque. Você vive uma situação difícil? Faça o melhor que puder e confie.

Você é cristão?

“Deveis conhecer aquilo em que credes…deveis ser muito mais profundamente radicados na fé do que a geração dos vossos pais, para poder resistir com força e decisão aos desafios e às tentações deste tempo. Tendes necessidade da ajuda divina, se a vossa fé não quiser esgotar-se como uma gota de orvalho ao sol, se não quiserdes ceder às tentações do consumismo, se não quiserdes que o vosso amor afogue na pornografia, se não quiserdes trair os débeis e as vítimas de abusos e violência.” (Prefácio ao Catecismo da Igreja para Jovens (Youcat) do Papa Bento XVI)

Eu não sei muito bem das tramas da vida, se acontecem, por que acontecem, como acontecem. A gente planeja tanta coisa que não acontece. Domingo eu não planejei assistir Homens e Deuses, mas assisti. E Youcat? Estava à venda na saída da Missa.

Youcat

 

“tudo o que os homens fazem é insuficiente e pode ser melhorado” (Bento XVI)

 

Nunca é tarde para aprender. Se você não sabe do que se trata, informe-se aqui.

ONU protege mandamento divino?

Tendo Deus terminado no sétimo dia a obra que tinha feito, descansou do seu trabalho.  Ele abençoou o sétimo dia e o consagrou, porque nesse dia repousara de toda a obra da Criação.

O mandamento divino diz que devemos santificar o domingo e guardar os dias santos. A lei antiga, mais especificamente, manda:

Lembra-te do dia do Sábado para o santificar. Durante seis dias trabalharás e farás todos os trabalhos. Mas o sétimo dia é sábado do Senhor teu Deus. Não farás nele nenhum trabalho, nem tu, nem teu filho ou tua filha, nem o teu servo nem a tua serva, nem o teu gado, nem o estrangeiro que vive em tua cidade. Porque em seis dias o Senhor fez o céu e a terra, o mar e tudo o que eles contêm: mas ao sétimo diz descansou. Por isso o Senhor abençoou o dia de sábado e o consagrou.

Mas o que isso tem a ver com a ONU? Continuar lendo

Tecnologia: verdade aterrorizante

A tecnologia é um bicho-de-sete-cabeças para aqueles que não acompanharam os avanços tecnológicos das últimas décadas. É verdade que a maioria das pessoas que você encontra na Net são jovens com menos de 30 anos. Aterrorizante? Não.

Então o que é aterrorizante?

Alguns podem questionar se a tecnologia não  estaria nos afastando de Deus. Existem muitas coisas que podem nos afastar de Deus. Geralmente damos a isso o nome de pecado: resultado do desequilíbrio, do uso desregrado que fazemos delas. Mas não sou a pessoa mais capacitada para dizer o que é ou não pecado. Tem dúvida? Procure seu confessor.

A Igreja não tem medo do novo, prova disso foi o encontro de bloqueiros no Vaticano em maio deste ano. O Vaticano tem faz tempo um canal no YouTube, o site do Vaticano foi re-desenhado recentemente, e vem mais novidade por aí.

Chesterton também não teria reservas afinal, ele sabe que a Fé sempre sobrevive:

“A Cristandade sofreu uma série de revoluções e em cada uma delas houve a morte do Cristianismo. O Cristianismo morreu e ressuscitou tantas vezes porque possui um Deus que sabia o caminho para fora do sepulcro. O primeiro fato extraordinário que marca a história é este: a Europa foi virada de cabeça para baixo repetidas vezes; e no final de cada uma dessas revoluções, no seu topo, sempre se encontrou a mesma religião. A Fé está constantemente transformando as épocas, não como uma religião velha, mas como um religião nova.”

Transformar, converter nossa época. Essa transformação, essa conversão é possível através da evangelização. O que pode parecer aterrorizante é que somos chamados pelo papa, todos nós, jovens, e não tão jovens assim (como é o meu caso), a participarmos da nova evangelização na era digital. E, da mesma forma que não podemos ignorar esse chamado, não podemos ignorar a nova tecnologia.

Mas tem muita gente que nem escrever um e-mail sabe? Meu próprio pai é um deles, ele não sabe nem mesmo usar os contatos do celular, pior, ele não sabe sequer usar o celular… simplesmente não lhe entra na cabeça.

Daniel H. Wilson, autor do livro Hobopocalypse, escreveu recentemente num artigo para o Wall Street Journal:

“Mark Zuckerberg não criou o Facebook para pessoas com filhos e hipotecas imobiliárias. A tecnologia é criada pelos jovens, para os jovens… Os jovens se adaptam rapidamente às coisas mais absurdas.

Pense na rede social Foursquare, onde as pessoas não só anunciam voluntariamente a sua localização, mas ganham patetas condecorações virtuais por isso. Meu primeiro instinto foi ignorar o Foursquare – pelo resto da minha vida, se preciso for.

E é este o problema. Conforme envelhecemos, o processo de adaptação diminiui consideravelmente…

“E daí?” você pode perguntar. Esses jovens podem ficar com sua preciosa Internet.

Eu não estou dizendo que você precisa se atualizar. Mas a partir do momento que você escolhe parar de se desenvolver, seu mundo começa a encolher. Você será capaz de se comunicar com um número menor de pessoas, especialmente os jovens.”

A nossa meta deveria ser viver o nosso dia-a-dia da mesma forma que Santo Agostinho:

“Corrigir os indisciplinados, confortar os pusilânimes, amparar os fracos, refutar os opositores, precaver-se dos maliciosos, instruir os ignorantes, estimular os negligentes, frear os provocadores, moderar os ambiciosos, encorajar os desanimados, pacificar os litigiosos, ajudar os necessitados, libertar os oprimidos, demonstrar aprovação aos bons, tolerar o maus e [ai de mim!] amar a todos.”

Para isso eu preciso de tecnologia? Depende de com quem você deseja se comunicar.

E aqueles que se encontram isolados, quer porque não conseguem acompanhar o desenvolvimento tecnológico ou porque se encontram em regiões onde é impossível o acesso às novas tecnologias?

Encontrei respostas nas palavras de nosso querido papa:

“Quando já ninguém me escuta, Deus ainda me ouve. Quando já não posso falar com ninguém, nem invocar mais ninguém, a Deus sempre posso falar. Se não há mais ninguém que me possa ajudar – por tratar-se de uma necessidade ou de uma expectativa que supera a capacidade humana de esperar – Ele pode ajudar-me. Se me encontro confinado numa extrema solidão…o orante jamais está totalmente só.”

A verdade aterrorizante, na minha opinião, não é não acompanhar a tecnologia. É não ter uma vida de oração!

Esse Papa não está no gibi: Não estava!

O empresário Jonathan Lin está para lançar uma revista de gibi no estilo “mangá” cujo principal personagem é o Papa Bento XVI. O gibi será distribuído gratuitamente em Madri durante a Jornada Mundial da Juventude em agosto. São 300.000 exemplares em inglês e espanhol.

O nome da revistinha é Habemus Papam e Lin diz que os gibis serão distribuídos nas igrejas, hotéis, albergues da juventude, escolas, metrô, aeroporto, quiosques de informação, atrações turísticas e eventos.

Lin tem 36 anos e é o fundador e editor do Manga Hero – uma empresa que produz revistas em quadrinhos no estilo japonês localizada em San Raphael, CA. Seus personagens são heróis e heroínas marcados pela honra, sacrifício, coragem, fé, amor e sabedoria.

“Nós quisemos usar “mangá” como uma ferramenta para mostrar para a juventude e para o mundo que a Igreja não tem medo da modernidade e nem da cultura em evolução. Ela não tem medo de usar, neste caso, os novos e atraentes tipos de mídia que permitem a conexão com os jovens no seu próprio ambiente.”

Ele notou que o Papa João Paulo II tinha pedido que fossem utilizadas novas formas de meios de comunicação que abrangessem os jovens, a fim de se construir uma “cultura de amor e dignidade”, e a “mangá” é este meio.

A revistinha terá 32 páginas, e os personagens ajudarão a contar a história de Bento XVI, um papa que ele diz ser “amável, sábio e muito inteligente e que se preocupa muito com o seu rebanho“.

Lados opostos. Compare o Habemus Papam desse jovem com o do cineasta Nanni Moretti. Compare e analise a forma diferente como exploram o tema. Perceba a diferença de objetivos a serem alcançados.

Eu assisto muitos filmes, mas sempre curtia os gibis na minha juventude. Resta saber quem será mais bem sucedido. Eu sei pra quem vou torcer.

O significado de tolerância

Tolerância: uma palavra bastante em moda. Ela é equiparada à “mente aberta” e vem acompanhada de respeito humano. 

Voltaire (1694-1778), quando escreveu sobre tolerância, disse que já que somos todos cheios de fraquezas e de erros, devemos perdoar mutuamente as nossas obscenidades; que essa é a primeira lei da natureza.

Mas o que é tolerância?

Como Voltaire queria destruir o cristianismo, prefiro refletir sobre o “Apelo à intolerância” do arcebispo Fulton Sheen. Continuar lendo

Era digital: 7 razões de Bento XVI para interagir online

Este ano foi testemunha da influência de ferramentas tipo Twitter como meio de comunicação eficaz em países onde a censura tentava impedir o burburinho de uma revolução. Em muitos desses lugares, é a Internet que possibilita atualmente a divulgação dos fatos como e quando eles acontecem.

O que fazer quando o jornalismo local é vendido ou sequestrado pelos interesses de uns poucos, quando fica impossível formar opinião e tomar decisões baseadas em fatos reais, e onde o medo ou o conformismo paralisa e cala a voz de muitos?

O Papa Beato João Paulo II viveu numa época de perseguição, conheceu a que ponto a crueldade humana é capaz de chegar, e por isso mesmo sua mensagem “Não tenhais medo!” é de um peso enorme. Tanto que muitos reconheceram sua influência no mundo e conspiraram para calar sua voz. Ele continuou, sem medo, sendo um catalisador da comunicação da verdade, até o fim. E não era de se esperar menos de um santo.

Não me esqueço da última vez que ele apareceu em público, numa espécie de janela para o jardim das oliveiras, onde era quase palpável sua angústia por não mais ser capaz de se comunicar com aqueles que ele tanto amou. Continuar lendo

Bíblia garante: o mundo acaba neste sábado

É isso mesmo. E você aí preocupado com a decisão do STF e a situação do PL122. Tolinhos.

Pra quê? O mundo acaba sábado. E você achando que era em 2012… tsc tsc… Atualize-se! Continuar lendo