Noite de Natal.

Dizem que a catedral lota, é melhor se prevenir. No bilhete diz claramente: os lugares ficarão reservados mas até determinado horário.

Vamos à pé ou de carro? O que diz o termômetro? Não sei, vou tirar fotos lá fora enquanto você acaba se de arrumar…. De carro, vamos de carro.

Dobramos a esquina e à nossa frente uma muralha humana envolve a igreja. Mas não são nem 22:30hs? Quem são? Por que vieram? O que fazem aqui? Estou no lugar certo? Moço, que fila é essa?

Algo me diz que Noite Feliz não será à luz de velas dessa vez. Pra que será esses holofotes? Por que tanta luz? Seria uma metáfora?  Alguém passa carregando incenso enquanto um sussuro aos meus ouvidos me diz: “Parece que a missa vai ser transmitida ao vivo.”

Entro no túnel do tempo, e desço em frente a uma caverna dois mil anos atrás. Não há multidão na porta, mas uma estrela brilha no céu. Não tenho ingressos, mas sinto frio e o cheiro não é de incenso.

Quem sou eu? Por que vim? O que faço aqui?

Ideologia: cadeia ou igreja?

Não vejo possibilidade num futuro próximo de eu poder entender a ideologia dos progressistas, ou seria ódio de religião? Entre cadeia ou igreja, preferem a cadeia. Continuar lendo