Liturgia: Monsenhor esclarece: não é permitido o serviço de mulheres

Esclarecimento de Monsenhor Guido Pozzo sobre a participação de mulheres “acólitas” na liturgia extraordinária.

Em carta da Comissão Pontifícia Ecclesia Dei,  datada em 29 de maio de 2011, o monsenhor esclare o significado do parágrafo 28 da Instrução Universae Ecclesiae sobre a aplicação Carta Apostolica Summorum Pontificum. O parágrafo UE28 diz:

Outrossim, por força do seu caráter de lei especial, no seu próprio âmbito, o Motu Proprio Summorum Pontificum derroga os textos legislativos inerentes aos sagrados Ritos promulgados a partir de 1962 e incompatíveis com as rubricas dos livros litúrgicos em vigor em 1962.

Traduzo as palavras do monsenhor:

A este respeito, a Carta Circular da Congregação para a Doutrina da Fé e Disciplina dos Sacramentos de 1994 (cf. Notitiae 30 [1994] 333-335) que admitia mulheres e meninas ao serviço do altar, não se aplica à Forma Extraordinária.

Abaixo, a cópia da carta.
Carta do Monsenhor Guido Pozzo

Agora não resta mais dúvida, não?

Reproduzo aqui as sábias palavras do Pe. Zuhlsdorf, traduzidas também para o português tupiniquim:

“Isto vai além da simples questão do sexo da pessoa que serve no altar. Existem outras inovações posteriores à 1962 às  quais se aplica a UE28. É importante que o significado da UE 28  fique claro desde o início, e que seja aceito. É importante que, a Comissão Pontifícia Ecclesia Dei intervenha, desde o início, quando a Summorum Pontificum e a Universae Ecclesiae forem interpretadas erroneamente.”

Você pode também gostar de:
Liturgia: Tradição e Progresso

Anúncios

8 respostas em “Liturgia: Monsenhor esclarece: não é permitido o serviço de mulheres

  1. Não sei se você pegou a notícia do blog do Paolo Rodari, mas li um comentário nele hoje de manhã: http://www.paolorodari.com/2011/06/08/niente-chierichette-se-la-messa-e-in-latino/

    A explicação: uma vez que a tradição antiga “criou” o coroinha para apresentar a vocação da vida sacerdotal, o ofício não caberia às meninas — ou, mais drasticamente, essa concessão traria problemas àquilo que se entende por ordenação. Com isso, também discutiu-se outro problema: a diferença da qualidade na educação católica entre meninos e meninas.

    De qualquer forma, ficou claro o que é o coroinha pré-conciliar. Inclusive na palavra em italiano (que não conhecia): “chierichetto”, literalmente “clerigozinho”.

    Abraços!

    • Oi Pedro,

      Então, eu não peguei de lá não. Eu peguei de um jornal britânico. Mas eu “conheço” o Paolo Rodari e vi que ele comentou também… o meu problema é que eu tenho mais dificuldade em traduzir italiano do que em traduzir inglês e como estava com pressa, fui onde era mais fácil. (rs). Obrigada por trazer aqui o comentário dele.

      • Sem problemas! Nossos blogues são convergentes, os temas sempre colaboram entre si… =)

        Tenho de fazer um blogroll no meu, aliás, heheh.

        Abraços

    • Oi Matheus,

      Olha, o que a carta diz, é que na Forma Extraordinária, que alguns chamam de missa tradicional, missa antiga, missa tridentina, aquela rezada em latim, com o sacerdote de costas para o povo, mulher não pode ajudar no serviço do altar. É isso… na missa dita “nova”, pode. Foi isso que eu entendi.

  2. Pingback: “Résistances”… « “Erguei-vos, Senhor”

  3. Pingback: Summorum Pontificum: Entrevista exclusiva de Mons. Guido Pozzo | Foco Católico

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s